Artroplastia ou Prótese de Ombro: quando é indicada?

A artroplastia ou prótese de ombro é um procedimento cirúrgico para tratar principalmente a artrose do ombro, a qual causa um desgaste da cartilagem, o que pode gerar dores e limitação dos movimentos.

O ombro é a articulação entre o braço e o omoplata, sendo a articulação mais móvel do organismo.

Essa articulação pode se desgastar com o tempo, mas também devido a um reumatismo articular, um traumatismo antigo ou uma necrose da cabeça do úmero.

No entanto, apenas um ortopedista especialista em ombro é capaz de avaliar a necessidade da cirurgia, mas geralmente quando o tratamento convencional não é mais eficaz, é a solução recomendada.

Confira, a seguir, todas as informações sobre prótese do ombro, quando é indicada, os tipos, riscos…

O que é uma prótese do ombro?

Antes de entender o que é prótese do ombro, vale lembrar o que é artrose do ombro. Então, é um desgaste da cartilagem e destrói a articulação.

Essa destruição pode atingir uma parte ou a totalidade da articulação, causando dores e perda de mobilidade. Pode vir acompanhada também de um desgaste decorrente de uma ruptura dos tendões do manguito rotador.

A cirurgia consiste em substituir a cartilagem desgastada da articulação por uma prótese parcial ou total do ombro.

Conforme o estado dos tendões, utiliza-se uma prótese anatômica, que reproduz o funcionamento do ombro normal ou uma prótese invertida.

Quando os tendões do manguito rotador estão muito danificados para permitir levantar o braço, a prótese invertida possibilita recriar esse movimento do braço.

Artroplastia: quando é indicada?

O desgaste da cartilagem é irreversível e a artrose não se cura espontaneamente, e a evolução natural é em direção a uma degradação progressiva da articulação.

Isso significa que há uma limitação importante dos movimentos e uma utilização cada vez mais difícil do braço.

Os analgésicos e anti-inflamatórios que surtiam efeito no início, não são mais eficazes.

É o momento então que o ortopedista especialista em ombro vai pensar em uma intervenção cirúrgica.

O objetivo da cirurgia é o alívio da dor, a recuperação da mobilidade da articulação e a utilização normal do braço.

Também é indicada em casos de fraturas graves em pacientes idosos, particularmente quando não há a possibilidade de recuperação óssea, por conta da osteoporose ou lesão vascular óssea.

Quais os tipos de prótese de ombro?

A artroplastia pode ser parcial ou total. No caso da prótese parcial, a substituição é apenas do úmero, sem a necessidade de um implante na glenóide.

Geralmente, é indicada em pacientes jovens e quando a artrose somente o úmero.

Já a artroplastia total, indicada em casos de artrose, os implantes são colocados na glenóide e na cabeça do úmero.

Agora, no caso de fraturas graves ou lesão irreversível, o médico ortopedista pode indicar uma prótese reversa.

Como é feita a cirurgia de prótese do ombro?

A cirurgia é feita sob anestesia geral associada a um bloqueio local para diminuir as dores no pós-operatório.

Uma incisão é feita no ombro, onde os tendões são separados para acessar a articulação.

Em seguida, as superfícies articulares são retiradas com a ajuda de instrumentos cirúrgicos especialmente desenvolvidos.

A prótese pode ser fixada no osso sob pressão ou com cimento acrílico, à escolha do ortopedista especialista em ombro.

Por exemplo, pacientes com osteoporose avançada, a fixação com cimento acrílico é a mais segura, pois depende menos da qualidade óssea.

Além da colocação da prótese, é essencial liberar a cápsula articular e o tendão subescapular, uma vez que ambos tornam-se encurtados em casos de artrose.

Quais os riscos da artroplastia?

Assim como qualquer cirurgia, e com a artroplastia não é diferente, existem riscos.

Logo após a cirurgia, pode aparecer hematomas, infecção e trombose, no entanto, são raríssimos os casos.

A cicatrização dos tecidos no ombro pode criar aderências ou nódulos de fibrose que podem provocar uma rigidez articular.

É totalmente desaconselhado fumar antes da cirurgia e durante o período de recuperação, pois aumenta de maneira significativa o risco de infecção e complicações de cicatrização.

Como é o pós-operatório da prótese do ombro?

Após a cirurgia, o paciente deve usar uma tipóia de 4 a 6 semanas e já no primeiro dia, recomenda-se exercícios para movimentar o cotovelo, punho e dedos.

A partir de 2 a 3 semanas, já é possível iniciar exercícios passivos para a recuperação da mobilidade do ombro.

Um período de 45 dias é necessário para a cicatrização do tendão, sendo necessário evitar todo esforço do ombro operado durante esse período.

É importante seguir todas as orientações do ortopedista especialista em ombro, a fim de evitar complicações mais graves.

Felizmente, com a evolução das técnicas  e dos materiais, as complicações no pós-operatório são cada vez menos frequentes.